quinta-feira, 30 de março de 2017

TODA FLOR INDEPENDENTE DE SUA ORIGEM E ELITE TEM SEU REAL VALOR...


TODA FLOR INDEPENDENTE DE SUA ORIGEM E ELITE TEM SEU REAL VALOR... ESTE CONJUNTO DE ROSAS EXPOSTAS NA RELVA RUSTICA DA ESTRADA QUE EU TRAFEGAVA, FEZ...ME PARAR O CARRO E UMA ONDA DE EMOÇÕES INVADIU...ME MEU PEITO NUMA SOFRÊNCIA JAMAIS VISTO. NÃO MACULES AS FLORES ! JÁ DIZIA O CARTOLA, AS ROSAS NÃO FALAM, MAS ELAS SENTEM QUANDO SÃO DESCRIMINADAS... VENDO PORTANTO, ESSA QUESTÃO, DE REPENTE FOQUEI PAUSADAMENTE ESSE CONJUNTO DE FLORES E SEM QUE EU PERCEBESSE, COMECEI A CHORAR E ELAS, MAQUINALMENTE , TODAS MURCHARAM, TALVEZ COM PENA DESSE ANDARILHO, AMANTE E ADMIRADOR DOS OPRIMIDOS E DOS HUMILHADOS... AS 11.20 HORAS. DE 30.03.2017.( NA CHUVA )...

Leia Mais
Crônicas de Rufino Silva

segunda-feira, 27 de março de 2017

A morte significa ponto final de uma travessia que as vezes nao termina no fim.

A morte significa ponto final de uma travessia que as vezes não termina no fim. Uma estrada que a cada passo nos sentimos impotentes e frágeis
para prosseguirmos, pois caminhar não é preciso... Hoje vi um amigo com seu corpo estendido em uma urna funerária. Vi amigos e parentes chorando e clamando por uma saudade e nesse sentimento apertado e inglório, me caia uma lágrima, onde antes tantas vezes eu sorria e o abracava, como se fosse um testemunho de uma revolta pela perda e por esse sentimento que me invadia o peito sangrado de dor pelo frio adeus que eu dava... Amigo José Rodrigues, o seu fim teve dignidade e depoimentos que enriqueceram e orgulharam seus entes queridos e amigos! Sua caridade aos carentes sobrepuseram a avareza, enfim todas suas boas ações serão sempre palpáveis e lá onde você estiver, os anjos hão de cantar sua história e suas benfazejas marcas, deixadas, de quando em vida aplicasse a honradez e os princípios de sempre viver em paz consigo e com seus semelhantes. Amem. 24.07.2017.

LEIA MAIS
Crônicas de Rufino Silva

Retrato da Natureza!!

Hosana nas alturas ! Obrigado meu Deus... são exatamente 13.45 horas, deste domingo, 26.07.2017. Quase domingo a tarde. Vejam esse quadro! Retrato da Natureza, onde logicamente um temporal se prenuncia, a desabar em nossa querida Aracoiaba. Não ha nenhum pintor ou escultor que possa transportar para a tela, essa imagem de nossa visão! Ninguém mesmo! Por essa e outras razoes, senhor do universo, obrigado por tudo e pelos pobres pecadores, para servimos diante dessa humildade, onde somente Deus, tem o poder e a sublima soberania de nos fazermos eternamente felizes... Amém.

Leia Mais
Crônicas de Rufino Silva

terça-feira, 21 de março de 2017

Hoje portanto, revivo pelo meu livro de memórias

Resultado de imagem para dona rocilda
FOTO: Djanira, Rufino Silva e dona Rocilda
O dia 14 de marco de 2017, já passou! Não esqueci que esse dia de cada mês não posso passar em brancas nuvens e ele me deixa muito amargo, até sem motivos de viver, embora a foto retrate o oposto, mas foi batida em outra oportunidade...
São realmente 21 meses sem dona Rocilda. Parece que foi ontem. Lagrimas derramadas senti naquele negro domingo que passou em minha vida, quando eu e meus irmãos fomos ao necrotério apanhar seu corpo sem vida e sem brilho! Um filme de longa metragem passa a minha frente. Em lembrar que ha menos de 48 horas ela lançou seu derradeiro e triste olhar na saída do hospital de Aracoiaba isso no sábado 13.06.2015...
Hoje portanto, revivo pelo meu livro de memórias, essas mesmas cenas e coincidentemente o mesmo sábado e horário, cenas e sentimentos marcantes dessas feridas ainda expostas no amago desse coração sendivel e sem juizo!...Hoje. 18,03.2017.


Gilvan Rufino postou:
Mamãe jamais será esquecida meu querido irmão Rufino Silva Rufino Silva Ela apenas foi morar com Deus e com toda certeza está rezando por todos nós. Mamãe é imortal. !!!!!!

LEIA MAIS...
Crônicas de Rufino Silva

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

Chuva fina no telhado...

Resultado de imagem para chuva fina no telhado
@ Reprodução
CHUVA FINA NO TELHADO E UM FRIO INVADE MEU QUARTO A MEIA LUZ. ROLO NA CAMA E NÃO CONSIGO DORMIR. SERA MAIS UMA NOITE ONDE ESSES PINGOS DAGUA VÃO ROLAR PARA OS RIOS E OS RIOS PARA O MAR E EU VOU PRA ONDE? NÃO SEI...

Leia Mais..
Crônicas de Rufino Silva

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

Não sei se foi para o meu bem ou para o meu mal.

Não sei se foi para o meu bem ou para o meu mal. Ontem 14.02.2017, completava para minha tristeza nada menos 20 (vinte ) meses de falecimento de minha inolvidável mãezinha querida, dona Rocilda. Dediquei a sua inapagável memoria, uma croniqueta, conforme todo o dia 14 de cada mes, dedico a ela, dona Rocilda, a relembrança e a doce memoria dessa pessoa semi santificada que em vida entregou... se a palavra de Deus e evangelizava como ninguém em nossa paróquia de Aracoiaba. Redigi a referida cronica na data acima citada e por problemas técnicos não me foi possível, prensar esses escritos em seu conteúdo em seu devido lugar desse espaço poetivo e cultural... Pena. Mas nesse esforço gigante revivo a data e a memória de dona Rocilda, em nome de seus filhos, Rufino Silva, esse escriba, Gilvan, Sebastião e Dedim Silva, bem como seus netos e noras, tornar cada vez mais acessa essa chama de um amor que não morreu...15.02.2017.

Leia Mais
Crônicas de Rufino Silva

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

Santo Deus! o que não faz a cobiça, a luta desenfreada pelo poder!

Santo Deus! o que não faz a cobiça, a luta desenfreada pelo poder! Chega.., se a perder a dignidade, o caráter, sobretudo o amor aos ditames de Deus, nosso Senhor. E muitas vezes, usam as pessoas menos esclarecidas, para tentar danificar as pessoas de moral e do bem! Ficam muitas vezes, por traz de uma sombra apagada, simplesmente para fazer o mal... O povo e sábio e por mais que essas aves agourentas tentam se ocultar pelo ostracismo da maldade, a máscara termina em cair e essa falta de Deus transparece a realidade e a vergonha lhe cobre de lama e pecado! Amém. Vá de retro satanás... 05.02.2017.

Leia Mais

O dia praticamente já morreu... Feneceu

FOTO: Rufino Silva
Cai a tarde. O céu que estava tao límpido e movido pelo clarão do sol, pouco a pouco se esvai e uma pequena nuvem, turva o horizonte que antes brilhava e agora esta tao triste...
Os animais retardatários se agrupam em filas, como se alguém ordenasse a todos, a se recolherem num tom de final do dia e que a Natureza sempre vibrante, se embalasse e uma orquestra começasse
a tocar uma valsa vienense de um autor hoje esquecido...
O dia praticamente já morreu... Feneceu. As derradeiras sombras cobrem meu rosto e uma tristeza densa e amarga envolve meu semblante e dai então eu começo soluçar e sem querer lembro... me dessa criatura que se foi, deixando um vazio e uma saudade que fez morada e não quer ir embora. Saudade de minha mãe! Minha vida. 06.02.2017.


Leia Mais...
Crônicas de Rufino Silva

domingo, 5 de fevereiro de 2017

Tempo Ladrão

Sandra e Joseni
 Por Blog do Parceiro -

Tempo Ladrão

Limitei-me a pensar... Fiz minhas reflexões:
Quão passageiro é o tempo. E ele nos prende...
Torna-nos prisioneiro e como um facão mortaz,
Nos retira tudo, nos deixando quase nada.

Ele passa como uma flecha... Corre demais.
Fustigo todos os nossos sonhos. Nos nega tudo:
Arranca do peito, o delírio – depois sepulta-o,
Deixando para traz todas as nossas esperanças.

O tempo... às vezes nosso bom aliado...
Mas depois, muito depois, vem a cobrança:
Pagamos caro, muito caro, o preço: a saudade.

De repente me perco no tempo. Assombro-me:
Saio correndo pela estrada à fora, me canso...
Não posso mais correr – Não tenho mais forças.
Resta-me somente dizer: cheguei. Estou velho demais...

26/12/96
Esta poesia foi um presente que ganhei de Rufino Silva em 26/12/96

ACESSE: Rufino Silva

Leia Também:

Como é bom e prazeroso recordar um passado que nos deixou grandes lembranças...

terça-feira, 31 de janeiro de 2017

Hoje realmente o meu sábado esta sem graça.

Rufino Silva

Hoje realmente o meu sábado esta sem graça. 28.01.2017. Principalmente neste sábado em fim de tarde. Tarde sem sol e sem emoções... Tentei e busquei qualquer. coisa que me fizesse lembrar de algo feliz e que meu pensamento se concentrasse na imagem daquela que se foi há 29 meses. Minha mãe. Dona Rocilda. Meu olhar triste se perdia ao longo da estrada e cada vez mais minha tristeza fazia morada em meu dolente coração! Queria sorrir... queria gritar seu nome, mas foi inútil! Não pude segurar minhas emocões e sentimentos... Dai então, comecei a chorar e de repente bateu a neblina por sobre o meu veiculo, como se a própria natureza se juntasse a mim, nesse vendaval de tristeza e de saudade... 28.01.2017.

Leia Também: Crônicas de Rufino Silva